• Apoiar as reivindicações e os desejos das pessoas sobre a cidade onde vivem. O diagnóstico e as propostas são elaborados pelos moradores da região com auxílio de assessoria técnica.

  • Registrar diferentes saberes e olhares sobre a região e sua relação com Porto Alegre, desde uma análise multissetorial (Educação, Saúde, Mobilidade Urbana, Saneamento, etc.).

  • Identificar temas prioritários para a Região.

  • Promover e documentar um resgate histórico sobre o processo de urbanização da Região.

  • Promover o encontro entre moradores, Conselheiros, Delegados, movimentos sociais e lideranças comunitárias para debater e discutir a cidade que desejam.
     

  • Mobilizar a sociedade para o debate das questões urbanas, uma vez que o Estado deve realizar a revisão do Plano Diretor com a participação social, contemporâneo a este processo.

 

  • Confrontar a realidade desejada pelas pessoas com a realidade existente da vida urbana.
     

  • Empoderar Conselheiros e Delegados do CMDUA a partir do debate em suas Regiões e de um vocabulário técnico do campo da arquitetura e urbanismo.
     

  • Estimular a participação em espaços esvaziados como os Fóruns de Gestão do Planejamento das RGPs, constituídos por Conselheiros e Delegados.

  • Pensar em outras formas de organização para além de parcerias público-privadas.
     

  • Tensionar o Estado a realizar o seu dever com a sociedade.
     

  • Elaborar um documento que aborde a cidade a partir da escala intermediária, diferentemente de um Plano Diretor.

  • Realizar um momento de Direito à Cidade, compreendido como o direito à centralidade das pessoas na decisão da vida urbana.

Planos Populares de Ação Regional. Porto Alegre - RS - Brasil.